Agora você pode negociar XRP na MODIAX Saiba mais arrow_forward
Bitcoin

Como minerar Bitcoin?

novembro 14, 2018

Como minerar Bitcoin?

Dentre as formas pelas quais é possível conseguir bitcoins, é preciso dizer que a mineração é a mais arriscada, afinal implica em uma série de gastos – poder de processamento, tempo, energia elétrica, compra de equipamento especializado – e não há garantias de que você será recompensado.

A mineração é processo pelo qual são criados os novos blocos do blockchain do Bitcoin. Para que isso ocorra, os mineradores – nós que criam os blocos – precisam resolver um complexo cálculo matemático conhecido como prova de trabalho.

Quando o Bitcoin foi implementado, em 2009, era possível minerar de um computador pessoal. Com o aumento dos participantes da rede e, consequentemente, o aumento da competição e da dificuldade de resolver a prova de trabalho, minerar a partir de uma CPU (Central Process Unit) deixou de ser viável e lucrativo, pois é quase impossível competir com os equipamentos especializados. Você pode passar décadas minerando com o próprio computador e não ganhar 1 bitcoin sequer.

Ainda assim, se você quiser minerar Bitcoin, pode fazê-lo basicamente de suas formas: minerando com o próprio equipamento ou minerando na nuvem.

Uma carteira segura: um pré-requisito

Antes de começar a minerar, você precisa de uma carteira de Bitcoin, que manterá uma chave pública e privada para lhe dar o direito de utilizar os bitcoins e será o endereço para o qual serão transferidas as recompensas com a mineração.

Como minerar na nuvem (“cloud mining”)?

Nesse método você aluga um hardware de mineração, ou parte do poder de processamento dele. O investimento exigido é relativamente menor se comparado à mineração com o próprio equipamento.

1º Passo: Escolher a empresa

Como em qualquer investimento, é importante fazer pesquisas e reunir informações sobre as empresas que oferecem esse serviço para que você possa compará-las e optar por uma de confiança, afinal existem relatos de golpes.

Essas empresas têm data centers espalhados pelo mundo com hardwares especializados para minerar, absorvendo assim os custos com eletricidade e refrigeração. Por serem centralizadas, elas podem comprar equipamentos em grande volume e adotar métodos eficientes de consumo de eletricidade.

Existem alguns sites que contêm avaliações dos usuários sobre várias empresas de mineração e podem lhe ajudar a escolher, por exemplo, o CryptoCompare. A maior e mais respeitável é a empresa Genesis Mining.

2º Passo: Escolher o pacote de mineração

As empresas de mineração oferecem vários pacotes de serviços nos quais você pode escolher entre diferentes quantidades de poder de processamento por diferentes preços. Normalmente optar por um plano mais caro, com mais poder de processamento, traz um retorno mais alto e mais rápido, mas nem sempre é o caso.

As empresas costumam ajudar fazendo um cálculo baseado no valor de mercado do Bitcoin, na dificuldade de mineração e no poder de processamento que você alugará. Esses valores não são constantes, por isso é importante analisar as tendências de mercado do Bitcoin, afinal o que é lucrativo hoje, pode não ser amanhã, caso o valor do Bitcoin diminua, por exemplo.

3º Passo: Escolher um pool de mineração

Depois de escolher o seu contrato, a maioria das empresas de mineração em nuvem solicitará que você escolha um pool de mineração, que é uma espécie de time no qual os mineradores cooperam entre si e dividem a recompensa pela criação dos blocos

Esses grupos surgiram com o aumento da competitividade na mineração. Os mineradores decidiram criá-los para juntar esforços e recursos e criar blocos mais rapidamente. Nem todos os pools de mineração distribuem as recompensas da mesma forma.

Existem diferentes métodos, como a distribuição proporcional à contribuição. É importante pesquisar o método utilizado para escolher a qual pool aderir. É comum que os eles cobrem uma taxa de cerca de 2% sobre os seus ganhos. Há prós e contras de diferentes pools que vão além do escopo deste artigo, mas aderir a um pool já estabelecido e comprovado é uma boa aposta.

Depois de concluir essa etapa, sua mineração em nuvem pode começar e, dentro de alguns dias ou semanas, você começará a receber os bitcoins da recompensa.

Cuidado com a “pré-venda”

Algumas empresas de mineração em nuvem oferecem contratos de “pré-venda”, ou seja, você pagará adiantado por um serviço que não estará imediatamente ativo e será iniciado somente quando um hardware estiver disponível, o que pode levar semanas ou meses.

Tal contrato não é aconselhável, porque não há como garantir que será lucrativo quando começar a valer. Além disso, não é fornecida uma indicação concreta de quando isso acontecerá.

Imagem de data center com asics para minerar Bitcoin
Data center de mineração

Como minerar com um equipamento próprio?

Outra forma é minerar bitcoins com seu próprio equipamento, o que requer um hardware especializado para que seja rentável, mas esse método é mais raro por causo dos altos custos. O hardware precisa ser equipado com circuitos integrados de aplicação específica (application specific integrated circuit – ASIC) que permitem resolver a prova de trabalho mais rapidamente.

Além do alto investimento em hardware, também há um grande gasto de energia elétrica, por isso é importante ter acesso fácil a uma rede de energia abundante e, mais importante, barata.

Antes de investir em qualquer configuração de hardware ou de mineração, é imprescindível que você use uma calculadora de mineração Bitcoin, como 99bitcoins, para ver se pode realmente obter lucro mesmo com todos os custos envolvidos.

1º Passo: Escolher um ASIC

Se está convencido de que será lucrativo investir em mineração, precisará adquirir um ASIC. Para isso, você deve considerar:
· poder de processamento (quantos hashes por segundo ele é capaz de processar)
· eficiência (consumo de eletricidade)
· preço (um bom ASIC pode variar de $1000 a $5000)

O mais elogiado atualmente é o AntMiner S9i, da Bitmain, mas devido à alta demanda, novos pedidos estão demorando algumas semanas para serem atendidos. O GMO miner B3 foi considerado o mais eficiente em setembro de 2018.

Também será preciso comprar uma fonte energia compatível com o ASIC e haverá custos com refrigeração para manter o equipamento em uma temperatura adequada e evitar um superaquecimento.

Você também pode optar por uma GPU (Graphics Processing Unit) que utiliza para jogar videogames, mas lembre-se de que um hardware de mineração pode queimar muito rapidamente e não há garantias de que sua máquina durará o suficiente para gerar lucro. Além disso, como a dificuldade de mineração aumenta, a GPU pode não ser capaz de trabalhar rápido o suficiente para ganhar bitcoins para você.

2º Passo: Escolher um pool de mineração

Depois de escolher e configurar seu hardware, é preciso decidir se deseja minerar Bitcoin sozinho ou como parte de um pool de mineradores.

As recompensas para minerar sozinho são maiores (atualmente 12,5 bitcoins, mas a ela é reduzida pela metade a cada 210.000 blocos), porém, se o seu hardware não tiver muito poder de processamento ou se você tiver azar, poderá minerar por meses ou até anos sem ganhar um único Bitcoin.

Já as recompensas por minerar como parte de um pool são menores, mas mais regulares. É preciso levar em consideração muitos fatores na escolha de um pool, como o método de distribuição da recompensa, afinal você pode ter necessidades específicas que apenas alguns atenderão.

3º Passo: Baixar o software de mineração

Em seguida, é preciso baixar o software correto, conectar seu hardware a uma carteira segura e configurar o hardware e o software. Por fim, fazer o login e iniciar o software: pronto, você estará minerando.

4º Passo: Fazer as contas

Para garantir que você esteja lucrando, é muito importante que você acompanhe os custos e ganhos envolvidos: você está ganhando bitcoins suficientes para cobrir seus custos com eletricidade e refrigeração?

Se você respondeu sim, então está tudo certo e você pode apenas desfrutar dos bitcoins que está acumulando.